Blog

Óleos essenciais são mais do que apenas “aromas” ou “fragrâncias”

Muitas vezes, as pessoas referem-se a óleos essenciais e óleos de fragrâncias como “aromas”.

Isso acontece principalmente quando ouvimos pessoas que realmente não entendem a diferença entre os dois tipos de óleos aromáticos.

Embora os óleos essenciais sejam concentrados e altamente aromáticos, referir-se aos óleos essenciais como “aromas” é um tanto impreciso, especialmente no âmbito da aromaterapia holística. 

Os óleos essenciais oferecem uma ampla gama de propriedades terapêuticas que vão muito além de meramente “cheirar” um produto. Muitos óleos essenciais são antibacterianos ou antivirais e alguns óleos essenciais, como a camomila romana por exemplo, contêm componentes que podem atuar como um sedativo natural. 

No campo da aromaterapia holística, os óleos essenciais são frequentemente selecionados não apenas pelo seu aroma particular (floral, amadeirado, herbáceo, etc.), mas também, ou principalmente, pelos constituintes específicos e propriedades terapêuticas que possuem.

Os óleos de fragrância são sintéticos e não oferecem as propriedades antivirais, antibacterianas e outras propriedades terapêuticas que os óleos essenciais podem oferecer. O único propósito dos óleos de fragrância é adicionar perfume a produtos de higiene pessoal ou fragrâncias caseiras.

Desta forma, o termo “aroma” não é o correto para chamar um óleo essencial e causará certamente uma grande confusão na hora que querer adquirir o produto certo!