Blog

Como usar óleos essenciais com segurança

Os óleos essenciais podem ser usados ​​com segurança para melhorar o bem-estar e como parte de um estilo de vida saudável.

Eles são usados ​​por milhões de pessoas todos os dias, a maioria delas sem incidentes. No entanto, os óleos essenciais são substâncias poderosas e podem ser prejudiciais se não forem usados ​​com o devido cuidado e diligência. 

Um frasquinho de óleo essencial é 50 a 100 vezes mais concentrado do que na planta, e as questões de segurança aplicam-se aos óleos essenciais que podem não se aplicar à planta inteira ou ao extrato de ervas.

Há muito o que saber sobre a segurança dos óleos essenciais e este artigo abrange apenas as diretrizes gerais de segurança.

Se você tiver uma reação adversa a óleos essenciais, consulte o nosso artigo “O que fazer em caso de reação adversa

Uso tópico e diluição

Não aplique óleos essenciais não diluídos na pele. A falta de conhecimento pode levar a erros com resultados não desejados. A reação adversa mais comum, experimentada por centenas, possivelmente milhares de pessoas todos os anos, é uma reação cutânea, e a causa mais comum é o uso de um óleo essencial não diluído, ou seja, aplicado diretamente na pele sem o diluir num óleo vegetal (também chamado de óleo base, carregador ou veicular).

Geralmente, as razões para fazer isso são ignorância: ninguém disse que não era uma boa ideia ou alguém disse que era uma boa ideia e que era segura.

Acima está uma tabela com orientações gerais para as diluições de óleo essencial que são comumente usadas em diferentes cenários, mas nunca se esqueça que são apenas orientações gerais e em caso de duvida consulte sempre um aromaterapeuta profissional. 

Alguns óleos essenciais, como capim-limão, cravo-da-índia ou casca de canela, têm maior probabilidade de causar reações cutâneas do que outros. No entanto, as pessoas frequentemente podem ter reações adversas a óleos essenciais que são relativamente seguros, mas porque foram usados ​​não diluídos ou incorretamente.

Se tiver uma reação alérgica a um óleo essencial, o seu sistema imunológico está preparado, geralmente para o resto da vida, então talvez seja necessário evitar esse óleo indefinidamente. A irritação é diferente, não envolve o sistema imunológico e geralmente ocorre por uso impróprio.

Banhos

Os óleos essenciais NÃO se misturam com a água, é muito importante que retenha esta informação pela a sua saúde! Eles flutuam em pequenas gotículas na superfície da água e se entrar na banheira e sentar-se sobre essas gotículas de óleo essencial não diluído, existe o risco de irritação, uma vez que as gotículas não diluídas de óleo essencial se fixam na pele, geralmente em áreas sensíveis. é sempre necessário que os óleos essenciais sejam diluídos num agente dispersante, para poder usufruir de um balho relaxante sem riscos. Como os óleos são aquecidos pela água e também não podem evaporar, se não os diluir eles geralmente ardem bastante assim que tocam na nossa pele. Portanto, os óleos essenciais precisam sempre ser totalmente diluídos numa base apropriada antes de serem adicionados ao banho (um óleo vegetal, como por exemplo, óleo de côco, óleo de amêndoas doces…).

Olhos

Nunca pingue óleos essenciais nos olhos, pois isso pode causar queimaduras químicas e pode resultar em cegueira.

Ouvidos

Os óleos essenciais não diluídos não devem ser pingados nos ouvidos, mas os óleos essenciais diluídos podem ser colocados em um chumaço de algodão para inserção parcial. Mais uma vez, procure um profissional sempre que tenha dúvidas!

Ingestão Oral

Não ingira óleos essenciais, a menos que seja aconselhado a fazê-lo por um Aromaterapeuta profissional para prescrever óleos essenciais desta forma. Tomar óleos essenciais por via oral envolve muitas áreas de risco que outros métodos não têm. Não tome óleos essenciais não diluídos ou em água, pois existe o risco de irritação na boca, garganta, esófago, estômago… Isso é semelhante ao que acontece se não diluir os óleos essenciais num banho (como já foi explicado em cima), exceto que o tecido da membrana mucosa é mais sensível ainda do que a pele, mas o nosso intestino apenas envia sinais de dor quando a erosão já progrediu bastante, o que trás riscos enormes como deve calcular. Uma ou duas gotas da maioria dos óleos essenciais podem ser tomadas com segurança por dia (sempre bem diluídos), mas mais do que isso não é recomendado.

Inalação e difusão

Não é aconselhável inalar direta e intensamente os óleos essenciais por mais de 15-20 minutos, como com a inalação de vapor. E se for a primeira vez que é até provável que não consiga aguentar mais que 5 minutos, mas isso é considerado normal, pois é uma primeira vez! No entanto, isso não se aplica à inalação ambiente de óleos essenciais vaporizados no ar. Se estiver difundindo óleos essenciais, faz mais sentido fazer isso intermitentemente do que constantemente, durante todo o dia. Idealmente, difunda os óleos essenciais por 30-60 minutos ligado intermitentemente e depois desligue. Isso não é apenas mais seguro, mas também mais eficaz, pois nosso corpo e nosso sistema nervoso se habituam aos óleos essenciais após esse período de tempo. Sempre que estiver usando ou difundindo óleos essenciais, é aconselhável alguma troca de ar (ar fresco).

Queimadores com velas

Os óleos essenciais são inflamáveis ​​e não devem ser usados ​​de nenhuma forma que envolva a proximidade de chamas ou risco de incêndio semelhante. Os óleos essenciais não são explosivos e são seguros quando usados ​​num difusor, mas há algum grau de risco. Queimadores acesos com a chama de uma vela não são recomendados, mas velas perfumadas são seguras.

Crianças

Mantenha os óleos essenciais num lugar onde crianças pequenas não possam alcançá-los e nunca deixe que mexam em frascos de óleos essenciais. Para ajudar a prevenir tais acidentes, todos os óleos essenciais devem ser vendidos em frascos com tampas à prova de crianças. É claro que isso nem sempre funciona, mas faz diferença.

Contra-indicações

Se você tem um problema de pele, está grávida, tem epilepsia ou asma, está em tratamento com medicamentos prescritos ou tem qualquer dúvida sobre qualquer condição que possa ter, é aconselhável procurar o conselho de um profissional adequado antes de usar óleos essenciais puros.

Este é um conjunto de diretrizes gerais de segurança para ajudá-lo a usar óleos essenciais com risco mínimo. E lembre-se de que risco e perigo são duas coisas diferentes a se considerar.